segunda-feira, 9 de julho de 2012

Game Of Thrones - Season Finale


Casal em Série tardando mas não falha!

O último episódio dessa segunda temporada mostra os resultados do conflito da baía da Água Negra. Batalha esta vista no episódio passado, mas que merece alguns comentários pela sua grandiosidade.

A tensão do conflito era evidente, dentro e fora de Porto Real. As incessantes - e desconfortáveis - conversas entre Cersei e Sansa tornava a situação ainda mais claustrofóbica. O destino daquelas mulheres estava traçado, dependendo do resultado da guerra, e isso tornavam-as nada mais que ovelhas em um cerco, sendo o pastor Ser Ilyn Payne. O fogovivo, líquido altamente inflamável utilizado no combate, ficou com um efeito interessantíssimo, com uma cor verde fluorescente, deixando-o com um aspecto de substância não existente em nossa realidade. Um dos personagens mais odiados, o rei Joffrey, sucumbe ao medo da iminente derrota e foge na frente de seus soldados, deixando ao seu tio anão a responsabilidade de controlar o ânimo da tropa. E, com um jogo de planos, que alternava entre a imagem dos soldados espalhados lá embaixo e Tyrion num andar mais superior, tornou mais épico seu discurso, finalizando com todos brandindo e com a moral retomada. Contudo, Tyrion sai de cena logo em seguida, cabisbaixo, com uma expressão de desconforto e pessimismo.


Por outro lado, uma questão: que rei sai na frente de sua tropa, pondo em risco sua vida num combate frontal? Aparentemente Stannis. Eu entendo que ele se considerava "campeão" do Deus Vermelho e que Melissandre havia lhe dito que viu no fogo que venceriam a guerra... Mas não dá pra engolir um "senhor" lutar daquela maneira, fazer aquele estrago, conseguir invadir a muralha... Até finalmente bater em retirada, com a chegada de Tywin Lannister e a família Tyrell, agora aliados, retomando Porto Real na última hora.


A partir desse ponto, o episódio final apenas ficou com a responsabilidade de fechar certas pontas soltas. Lembrando que o penúltimo episódio da primeira temporada culminou com a cabeça de Ned Stark rolando, a tensão estava focada no destino de nosso querido anão Tyrion Lannister, seriamente ferido em combate. Com a experiência traumatizante do telespectador, podia se esperar o pior, contudo um suspiro de alívio pôde ser dado logo no início do episódio, quando os olhos de Tyrion se abrem... Mas em sua face a mácula eterna daquela batalha, possivelmente encomendada pela irmã Cersei.


Arya e seus companheiros conseguem fugir de Harrenhal graças à ajuda do misterioso Jaqen H´ghar. Definitivamente tinha algo de muito estranho com esse estrangeiro... As mortes que lhe eram solicitadas eram providenciadas sem dificuldades, independente de tempo e da quantidade! Após a mudança de seu rosto,  fica claro que Jaqen possui poderes místicos. Uma curiosidade: na primeira temporada, uma das serviçais de Viserys comenta sobre algumas lendas de Westeros, de pessoas que conseguem "mudar a fisionomia como mudam de roupa". (Ver no video abaixo, minuto 1:56)





A trama de Daenerys foi a que mais destoou da história do livro. Neste caso não me incomodou de maneira alguma, já que, na minha opinião, o que se passa com ela em "A Fúria dos Reis" não é tão elaborado como o enredo mostrado na série. O roubo dos dragões e o poder de "multiplicação" do mago Pyat Pree não fazem parte da história original. Contudo faltou alguns detalhes, principalmente certas visões que Daenerys presenciou na Casa dos Imortais e que foram deixadas de lado no seriado.

Brienne e Jaime Lannister agora seguem para Porto Real. Quem leu Tormenta de Espadas sabe como esta dupla interage bem, mas até agora não percebi muita química entre os dois atores. A atriz Gwendoline Christie, que faz o papel da feia e hábil guerreira, ficou bem caracterizada em sua personagem, mas, nas cenas de combate, ela deixa a desejar com movimentos muito lentos. Vamos aguardar a terceira temporarada e conferir.

O final do episódio foi bem polêmico, mostrando um batalhão de mortos-vivos ao norte... Conclusão essa que dividiu opiniões. Percebo que existem dois tipos de espectadores: aqueles que adoram Guerra dos Tronos pelo conteúdo medieval e político e aqueles que gostam disso tudo, mas não vêem a hora dos dragões crescerem e almejam que a sutil magia presente em Westeros esteja cada vez mais evidente na trama. Guerra dos Tronos nunca quis enganar ninguém: desde o primeiro ato estava claro que seres para lá da muralha estavam surgindo e que em certo ponto isso iria ser explorado.

E o que vocês acharam da trajetória de Theon Greyjoy nessa temporada? E do jovem lobo sucumbindo ao charme de Jeyne e quebrando a promessa do velho Frey?

Comentem a vontade

@rodolfojcn

Nenhum comentário:

Postar um comentário