quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Dexter s05























Antes de qualquer coisa: este post contém spoilers das temporadas anteriores, se pretende assistir, não leia.

Este é o primeiro post que fazemos sobre uma temporada inteira, ou melhor, sobre uma mini-temporada inteira. Dexter, como algumas outras séries do Showtime, tem 12 episódios de 50 minutos. Tiro curto, rápido e caceteiro, como nosso querido serial killer.
Vou tentar dar o mínimo de spoilers sobre a temporada, mas pelo menos os cinco primeiros capítulos terei que comentar.
Esta temporada inicia imediatamente após a quarta temporada, com Dexter descobrindo o corpo de Rita assassinado pelo Trinity e entra em choque. Após a primeira morte planejada desde a morte de Rita, Dexter conhece Lumen Ann Pierce (Julia Stiles) que descobre seu segredo. Quando Dexter consegue a confiança de Lumen, passa a existir o plot principal da série que é a vingança pelo que um grupo de torturadores fez a Lumen.
Achei uma temporada boa, mas ainda abaixo da última temporada, Trinity foi espetacular. Julia Stiles esteve muito bem no seu papel de traumatizada, os vilões foram interessantes, principalmente Jordan Chase (tic-tic-tic). A história principal foi cativante e foi a principal motivação da série.
As histórias paralelas foram mais fracas, a envolvendo LaGuerta e Batista não empolgou em momento nenhum, nem esta súbita paixão entre Deb e Quinn. A oficial Manzon simplesmente sumiu do meio da temporada pro fim, assim como um dos irmãos assassinos Fuentes. A ida de Debra para a área de arquivo foi mais rápida que a abertura da série. Já o Liddy (Peter Weller) foi muito bem, ótimo ator, ótima interpretação, foi a melhor história paralela, mas achei que teve uma solução muito simples, e eu odeio quando isto acontece, assim como foi a resolução da história com Miguel Prado na terceira temporada.
Nesta temporada, pelo menos duas vezes, foi utilizado o recurso Prison Break de mostrar uma situação limite, quando alguém vai descobrir o que outra pessoa está fazendo, mas na verdade, a primeira pessoa está em outro local ou já deu tempo de escapar. Eu gosto muito deste recurso, principalmente quando é bem feito, e foi.
Para a próxima temporada, não fica nenhum gancho, aparentemente a história com Quinn se resolveu (apesar de achar que ainda pode render algo na próxima temporada), a história de Kyle Butler não foi para frente (eu achava que ia ser ponto chave nesta temporada), e, no fim, tudo como dantes no Quartel de Abrantes, como diz meu pai.

Comentem a vontade,

@peregrinc

Foi mal pela parada

Fim de ano é uma coisa séria, muita atribulação no trabalho, metas a cumprir, tirando o trabalho com ceia, amigos secretos e acertos de reveillon. Por isso, nosso blog deu uma parada mas já está voltando com tudo ainda hoje com a crítica/resenha/comentários da quinta temporada de Dexter.

Comentem a vontade,

@peregrinc

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

The Event s01e07 até s10


Chegamos ao final da primeira etapa de The Event. Para os desavisados, após o episódio 10 desta primeira temporada, The Event entra em um hiato de 3 meses, até o fim de fevereiro, onde poderemos, finalmente, saber qual é o tal evento da série.Ou não.

The Event, como vocês podem rever aqui, me passou uma boa impressão inicial, mas chegamos naquele momento da temporada, onde não existem mais as curiosidades do início, mas também está longe do seu climax. Ou seja, estamos num limbo.

A situação não mudou muito nos últimos episódios, Leila e Sean procurando por Samantha, o presidente Martinez tentando entender quão longe vão as ações dos agentes infiltrados do povo de Sophia, enquanto a própria tenta evitar que o próprio filho, Thomas, a traia.

A série nos levou em dois caminhos distintos (Leila/Sean e Mrtinez) que agora parecem estar convergindo na figura enigmática de James Dempsey, que está por trás do sequestro de Samantha e do atentado ao presidente do primeiro episódio. Ainda não está claro se ele pertence a raça de Sophia (resposta mais fácil) ou algo ainda não explicado.

Os roteiristas prometeram um grande cliffhanger para este fim de temporada, para que ficássemos ansiosos pelo recomeço em três meses, e, pelo menos para mim, os dois "eventos" não deixaram tanta expectativa assim: a descoberta de Leila foi simples, talvez até previsível (não para mim), mas longe daqueles mistérios que eram revelados em Lost e explodiam cabeças (como Locke dentro do caixão, no fim da quinta temporada); já ação de Thomas foi muito vaga. O missil lançado não nos trás nenhuma perspectiva imediata do que vai ocorrer.

Outra coisa que está me incomodando, desde o início há a desconfiança que eles possam não ser aliens, mas os roteiristas estão se esforçando tanto para que pensemos isto, que parti para a seguinte linha: São aliens, e vou me irritar muito se disserem depois que não são. Vou xingar muito no twitter, hehehehe.

Achei que o hiato foi mal planejado, justamente por não nos dar o cliffhanger prometido. Três meses são muito tempo. Espero que logo na volta os capítulos voltem a ter a celeridade e a ação dos capítulos iniciais, pois, se não, corremos o risco de mais uma série promissora encerrada precocemente. It´s not too late !!!

PS. Para os que não sabem o que é cliffhanger, cliquem aqui.

Comentem a vontade.

@peregrinc

domingo, 5 de dezembro de 2010

Fringe S03E08 "Entrada"

Ufa!

É a melhor palavra para se dizer depois desse episódio. Ritmo incrível e expectativas a flor da pele. Medo danado de tudo dar errado; de BOlívia estragar tudo; de Broyles não ajudar; de Walternativo estragar a festa; de Peter não acreditar no telefonema; de retirarem um pedaço do cérebro de Olívia; de Astrid desmaiar de susto e não socorrer ela. Enfim, emocionante.

A atuação de Anna Torv foi muito boa. De fato ela faz muito bem BOlívia, ela tem o tino pra personagens maus... hehehehehe. Eu considero um ponto muito positivo no ator essa plasticidade em cena. Peter foi outro que me deixou com a pulga atrás da orelha: será que BOlívia faz mais o 'tipo' dele? Será que a química rolou mais forte porque eles são do universo alternativo? Será que se ele não tivesse sido raptado por Walter, eles estariam juntos? Pois é, dúvidas e mais dúvidas.

Incrível foi a hora que a van sacode e eles transportam BOlívia pra realidade alternativa. Mais incrível é ouvir Peter falar: "Broyles, é melhor o senhor não ver isso". Caramba. Eles mataram e mutilaram o pobre para ele ter a mesma massa de BOlívia. Fiquei CHO-CA-DA.

Eu assisti esse episódio empolgadíssima. E ao mesmo tempo frustradíssima quando @peregrinc fez o comentário: "Poxa, será que eles vão cancelar Fringe? Tá tão bom..." Sério gente. Não é possível que eles cancelem a série! Tanta coisa pra se explicar (que diferente de Lost dá pra amarrar direitinho), tanta coisa pra transformar em mistério... ai, ai.. estou quase começando uma campanha contra a interrupção da série.

Comentem a vontade,
@marinalordelo

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Fringe - S03E07 Abducted


ESPETACULAR. Sem dúvidas o melhor episódio da temporada até agora. Não só pela brilhante atuação de Lance Reddick - o agente Broyles, mas pela história secundária que se torna emocionante: a fuga de Olívia.

A trama central é a volta do "Candyman", um raptor de crianças que suga sua juventude. O ponto chave é saber que uma das crianças raptadas é Christopher, o filho do agente Broyles. Daí o episódio começa: você começa a perceber que ele também é um ser humano, com esposa, filhos, casa confortável e com sentimentos. Na verdade, você começa a perceber que ele também é frágil e passível de erros como o Broyles da outra realidade, e é isso que o deixa atraente ao público. O filho dele é interpretado pelo Curtis Harris, ator novo no pedaço e que promete muito, conquista o espectador com sua fraqueza e força ao mesmo tempo - ambas provocadas pelo rapto.

Desvendar o mistério e encontrar o Candyman, para Olívia seria simples, fato. Sendo justa, achei um exagero ela ter chegado sozinha na casa de um suspeito: uma lista de 40 nomes, logo ela vai encontrar o cara certo?? Mas daí ela salvar o garotinho e ser a heroína das crianças, isso eu achei o máximo! Dá-lhe Olívia!! Mas o mais legal é o garotinho Max falando pra ela: "Olívia, o que é FBI?" Nessa hora eu fiz: Ca*#%$#!!!!!!!!!!!!!!!!! O FBI não existe mais na outra realidaaaaaaade!

Bem, caso resolvido, agente Broyles agradecido, finge que não sabe que ela é da outra realidade. Então: Let's go Olívia! Corre pro cais que o tanque das privações sensoriais te aguarda. Mas então eu pensei: ela vai atravessar, ok; mas daí a permanecer lá..... Dito e certo, o Walternativo puxa ela de volta. Que medo daquela cara de mau dele, hein?????? Nossa.

Tremidinha na tela. Outra realidade. Cena de BOlívia (não sei por que o pessoal chama ela assim, mas temos que aderir a certas modinhas) e Peter debaixo do edredon vendo 'Casablanca'. Eu P. da vida, retada com Walternativo, e eles me botam uma cena com essa piranha?????????????????????? (desculpem o desabafo, esse episódio me proporcionou um mundo de emoções...). Mas então, vem o mais legal: telefone de Peter toca. É um recado:

"Senhor Peter Bishop? Desculpe, mas uma mulher acabou de desaparecer na minha frente. O nome dela é Olívia. Ela mandou dizer que está presa em outra realidade."


Uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuul! Nessa hora eu batia palmas enlouquecida. Acho que me subiu à cabeça.

Ansiosa para o próximo episódio.

Ah! Valeu, Broyles. Mas agora vai tirar ela de lá.

Comentem a vontade,

@marinalordelo


terça-feira, 23 de novembro de 2010

Modern Family S02E08 - Dash, Flash, Crash.


Sensacional para os fãs de Manny Delgado, o episódio assume o formato de outros anteriores (Ex. o do aniversário de Luke), começando com a cena onde todo mundo está chateado e entra o flashback para explicar o ocorrido.

Antes de escrever sobre a história, vou fazer um parêntese: Rico Rodriguez TEM que levar um Emmy ano que vem! ele é MUITO bom. Tem gente grande que não atua como ele, sinceramente.

Well, o episódio foi muuuuito legal. Ritmo agradável, cenas engraçadas e leves. Começa com o discurso de Manny sobre a perda de sua infância se sentindo velho, em pleno aniversário! Todos da família chateados, tristes e incomodados com episódios pré-aniversário deixam a cena tensa, até ir ao flashback, que começa muito bem com Jay dando uma arma de presente a Manny, dizendo que ele nasceu com 16 anos...!

Luke, ao dizer que prefere ficar com Phill numa discussão entre ele e Claire (que gera a corrida de quem chega primeiro no restaurante), entra em parafuso pensando que os pais estão se separando.. mais um fora dele, tadinho.
A cena do tênis é muito boa: diga-se de passagem a CARA de @peregrinc:

Luke: "Estou pronto..!"
Claire: "Está? já olhou pros seus pés?"
Luke descalço: "Droga, Luke!!"

O dilema Gloria e Jay sobre a chave desaparecida funciona bem, até o público descobrir que ela sempre esteve com Jay... dá uma sensação de "glória vai estrangular esse cara...", ficando sensacional somada a cena de Manny dentro da piscina, na bóia que ganhou há 2 anos e nunca usou, de terno, frustrado pela velhice precoce!!

Mas, pra mim, o ponto alto do episódio é Cam e Mitchell. Eles vão em busca de um presente pra Manny no shopping e encontram um velhinho tentando se declarar pro amor de sua vida. O detalhe: ele fala baixinho e está a um andar de diferença da velhinha. ÓBVIO que Cam iria ajudá-los!! Mas o mais surpreendente é o flash mob! Quem iria imaginar que tudo aquilo era uma armação de Mitchell pra dançar no flash mob???? e a reação de Cam??? única! só o Cam teria uma reação daquelas:

"Você dançou sem mim, Mitchell?????????????????"

Hahahahahahahahahahaha!

Muito bom. Eu realmente recomendo esse episódio!!

Comentem a vontade,

@marinalordelo

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Fringe - S03E06 6955 kHz

Episódio muito interessante e intrigante. Ao mesmo tempo que "soluciona" o mistério do dispositivo o qual Peter é a peça chave, levanta várias dúvidas e novas possibilidades.

Além de trazer a tona um assunto já explorado (X files, alguns filmes de suspense, lost), a história de uma frequência perdida há anos que pode dizer alguma coisa funciona muito bem. A inserção do livro com os elementos históricos ficou excelente, aumentando a credibilidade do episódio!

Em Fringe eles conseguiram dar corda ao assunto, emendar com a proposta do seriado e deixar no ar um mistério: existem frequências perdidas? há quanto tempo? quem as gerou? então o peterdevice era premeditado?

Nesta temporada a Jasika Nicole, a fofa Astrid, vem ganhando mais espaço através das cenas de cuidado do Walter com dedicação e carinho, e desta vez, hei de convir que ELA solucionou o problema chave do episódio - que por 1 segundo achei que a 'falsa' Olívia iria boicotar... respirei fundo naquela hora...!!!!

Apesar do Joshua ser o foco do episódio, achei o desempenho dele deixou a desejar. Não consigo conceber que ele, o super QI, o ultra inteligente, o Peter prático e dinâmico tenha caído nas garras da 'falsa' Olívia. Não é possível! Até a Nina percebeu que há algo de errado, que Olívia não costuma agir daquela forma... NINA! Que não convive com ela assim como Peter. Me poupe!

Apesar do episódio ter sido legal, acho que vem faltando inserir algumas coisas que estão no ar (demais até): os observadores, os transmorfos (que agora virou coisa rotineira, mas eles não explicam nada), o tratamento infantil de Olívia (será que na outra realidade ela também teve??). Acredito que já está na hora dos roteiristas arriscarem e criarem um episódio misto, envolvendo as duas realidades, histórias complementares ou paralelas, com ou sem consequências diretas. Ia mostrar pro público que os caras realmente sabem o que estão fazendo.

Comentem a vontade.

@marinalordelo

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

The Walking Dead - s01e02 e 03


Pois é, os zumbis chegaram para ficar.Demorei um pouco para postar, então vou falar logo dos dois episódios que passaram.

No episódio dois, Rick encontra com um grupo de sobreviventes em Atlanta e, se junta a eles para tentar escapar da infestação de zumbis. Entre estes sobreviventes, um racista (Merle) tenta dominar o grupo mas mé preso por Rick junto a uma tubulação no topo de um edificio, e é deixado lá quando os zumbis atacam. O ponto alto é a idéia de Rick para escapar do local rodeado de zumbis... Se sujar completamente com sangue e restos dos "walkers", para que não sintam seu cheiro. Definitivamente é o momento mais tenso do episódio.

No episódio três, Rick foge da cidade com os sobreviventes e vai para o refúgio, onde encontra com sua mulher Lori, seu filho Carl e seu melhor amigo (e amante de sua mulher) Shane. Apesar do clima tenso entre ele, Lori e Shane, Rick não percebe nada de anormal. Um zumbi aparece próximo ao refúgio, o que é um indício que a comida está acabando nas cidades e eles estão se afastando cada vez mais. O irmão de Merle surge, entra em confronto com Rick por causa de seu irmão, e eles resolvem voltar a Atlanta para resgatá-lo.

Bem, a história permanece tensa, mas o ritmo aumentou um pouco. Talvez porque o primeiro episódio era somente Rick, muitas cenas solitárias, e agora, há uma interação maior com outros personagens.

Interessante como a ausência da sociedade formal, faz com que as pessoas, que já tem impulsos racistas ou preconceituosos, não tenham mais escrúpulos para demonstrá-los, como acontece com Merle e o marido de uma refugiada no terceiro episódio. Mas da mesma forma, não existe sociedade para limitar as revanches a estes atos.

Só duas coisas que, na minha visão, pecaram nestes dois episódios: no segundo, o zumbi pegando uma pedra para quebrar o vidro da loja. Achei muito esperto para um zumbi.

A segunda foi a motivação de Rick para voltar a cidade. Depois de achar sua mulher e filho vivos, ele resolve largar tudo para pegar um walkie-talkie ? OK, ficção é isso aí. @marinalordelo não se convenceu nem um pouco disso.

Para finalizar, a série está indo muito bem, história envolvente, personagens carismáticos e zumbis incríveis. A maquiagem está nível hollywoodiano mesmo.

Comentem a vontade

@peregrinc

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Fringe s03e05 - "Ambar 31422"


Este post é uma grande responsabilidade minha para escrever: primeiro porque Fringe é, para mim, a melhor série de ficção científica na atualidade, um Arquivo X revisitado. Segundo que este era um post de @marinalordelo, mas como ela está viajando, me incubiu de escrevê-lo.

Esta terceira temporada de Fringe está muito boa. A alternância entre episódios no universo original e no alternativo está dando uma dinâmica diferente à série. Inclusive acho que quando se resolver esta questão entre os dois universos, seguir esta realidade alternativa pode ser uma ótima série spin-off.

É muito legal a dinâmica da equipe Fringe no universo alternativo, incluindo ver Charlie Francis de volta. Neste universo, ele participa mais ativamente do que no universo original, e é muito mais sagaz.

A história deste episódio trata das pessoas que ficam presas no âmbar 31422, que é uma maneira criada pelo Walternativo (ótimo apelido) de evitar maiores problemas com as fendas entre os mundos. Algo me diz que vamos descobrir que estas fendas não ocorrem por causa da ida do Walter original ao outro universo, mas por alguma experiência do Walternativo, mas é só um palpite.

Uma das pessoas que ficaram presas neste âmbar é retirada e ressuscitada, algo que a população não acha ser possível. O que leva a equipe Fringe a investigar e tentar abafar este caso, para que não venha a conhecimento do público. Apesar de haver um plot twist meio previsível no episódio, ele mantém a alta média de qualidade desta temporada.

Não posso deixar de falar que Anna Torv está surpreendendo nesta temporada, eu achava que ela era uma atriz mediana, mas com as duas Olivias dá pra notar claramente a diferença de interpretação. A do universo alternativo é muito mais sensual que a do universo original. Sobre os dois Walters já não precisa nem falar, a interpretação de John Noble é de tirar o chapéu.

Então, @marinalordelo, fiz jus a seu post ?

Comentem a vontade.

@peregrinc

domingo, 7 de novembro de 2010

Big Bang Theory s04e07 "The Apology Insufficiency"

S04E06 Foto 5

O último episódio da série de sitcom favorita dos nerds roda em torno de um emprego para o governo que Howard está concorrendo, e uma agente do FBI que entrevista as referências dele.

O problema são as referências: Raj, Leonard e Sheldon.

A agente do FBI é interpretada por Eliza Dushku (da série Dollhouse) e causa reações diversas nos 3 amigos. Medo da extradição em Raj, tentativa de flerte com Leonard e uma conversa sincera com Sheldon.

O episódio fica na média dos episódios de BBT, mas, na minha opinião o ponto negativo vai para tentar fazer de Leonard o garanhão. Após ficar com a irmã de Raj no último episódio, neste, ele quer agir como "pegador", tentando uma nova abordagem. A pergunta é: pra que uma nova abordagem, se ele já é o mais consegue mulheres entre todos os personagens?

Outro ponto que merece lembrança é a pequena participação de Penny no episódio, com certeza por causa da fratura que ela sofreu na perna após cair do cavalo (informação que @marinalordelo me deu após ver a entrevista dela em Ellen Degeneres). No último episódio, ela não apareceu e neste fez uma ponta.

Outras ausências sentidas foram de Bernadette e Amy Farrah Fawler, que faz uma ótima dupla com Sheldon e poderia ser usada por ele para desabafar.

Para mim, o ponto alto, mais uma vez é Sheldon, com a "insuficiência da desculpa", como diz o título, e sua rápida conversa com o Dr. Neil Tyson sobre o rebaixamento de Plutão.

@peregrinc

PS. Eu também não aceito até hoje que Plutão não é planeta.

sábado, 6 de novembro de 2010

Modern Family - s02e07 "Chirp"

A comédia do ano que levou a maioria dos Emmys arrasa a cada episódio. Criação do maravilhoso Doutor Brown de “De volta para o futuro”, Christopher Lloyd acertou na proposta, apostando em piadas simples e rotineiras, mas não clichês, e na vergonha alheia – que vem funcionando muito bem com a Tina Fey em 30 Rock.


A cada episódio que assisto me apaixono ainda mais pelo Manny Delgado (Rico Rodriguez), filho da lindíssima Glória (Sofia Vergara) e pelo Cam (Eric Stonestreet - que levou o Emmy de melhor ator coadjuvante), o genro gay de Ed O'Neill, o inesquecível Al Bundy. O preferido de @peregrinc é o Luke Dunphy, que junto com Phill é capaz de formar a dupla “tal pai, tal filho” perfeita da série.


Neste episódio senti falta da Alex, que sempre dá a sacada inteligente da cena – e que geralmente falta em seus irmãos e seus pais! As situações-problema do episódio são: a gripe de Claire e Haley – que causam pânico em Phill e Luke; a estréia de Lilly em um comercial imobiliário que divide as opiniões de Cam e Michael; e Jay tentando descobrir que data especial é aquela que Glória faz tanta questão de comemorar.


O ponto alto do episódio é quando Cam e Michael descobrem o que de fato o comercial representa para a pequena Lilly...! E o momento “coração derretido” é quando Jay se refere a Manny como filho dele (ADOREI!). No geral, foi um bom episódio (mas não dos melhores) com piadas interessantes e divertidas.

Comentem a vontade,

@marinalordelo

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

The Event já tem o final pronto ? Já vi isso antes...

Dêem uma olhada nesta nota : http://migre.me/20ZK3

E aí? Eu poderia até acreditar um pouco se o produtor dissesse o número de temporadas planejadas.

Já @marinalordelo tá com medo do que pode vir disso, já que Lost foi da mesma forma.

Desde o início de Lost disseram que já sabiam o final. Eu até acho que eles sabiam que tudo girava em torno de Jacob e do anti-Jacob, mas a história dos flash-sideways no fim, acho que criaram da quinta para a sexta temporada mesmo.

Mas minha expectativa é que The Event entregue o que está prometendo, até porque só enxergo mistérios até sabermos qual é o evento (que já disse minha teoria no post anterior). Será que vamos ter eventos após eventos ? Se for assim deveriam mudar o nome para The EventS.

Ainda neste fim de semana mais posts sobre as séries desta semana...

Comentem a vontade.

@peregrinc


quarta-feira, 3 de novembro de 2010

The Event - até s01e06


The Event, até agora, é a grande surpresa entre as novas séries do ano. Apesar de The Walking Dead (já comentada no post abaixo) ter chegado com muito mais pompa e estardalhaço, The Event parece querer ocupar um pouco do vazio que o final de Lost deixou nos fãs.

No primeiro episódio, The Event agradou, mas me deixou com um gosto de FlashForward na boca. Para os que não tiveram o (des)prazer de assitir, FlashForward foi uma série que veio com muito marketing na última temporada, inclusive utilizando atores de Lost (como Dominic Monaghan - Charlie - e Sonia Walger - Penny) e atores conhecidos ( o eterno Shakespeare Apaixonado Joseph Fiennes e o novo Sulu de Star Trek, John Cho), para substituir a série sobre a ilha. Pois bem, afundou. Após um primeiro episódio muito bom, a trama se enrolou, algumas subtramas ficaram repetitivas, e, covenhamos ficou muito chato, desisti antes do final.

O primeiro episódio de The Event foi bem confuso, com idas e vindas na linha cronológica, mas proposital, para tentar ganhar a curiosidade do público. A partir do segundo episódio, estas idas e vindas diminuem muito, e o seriado foca em duas tramas: o rapto da jovem Leila Buchanan e a busca dela pelo namorado (e hacker) Sean Walker e os prisioneiros de Inostranka, uma prisão localizada no Alasca e escondida pela CIA.

O elemento focal desta segunda trama é o presidente Eli Martinez (será que a TV americana acertará novamente ? Primeiro foi o presidente negro de 24 horas e agora um hispânico) que tenta resolver os problemas dos presos de Inostranka. Descobrimos, junto com ele, que eles não são pessoas comuns, mas provavelmente (com ênfase no provavelmente) seres extraterrestres, já que surgiram após a queda de um OVNI em 1945 e tem 1% de diferença genética com os humanos normais, o que proporciona algumas características diferentes, como não envelhecerem.

Após o presidente resolver libertar os presos, ele sofre um atentado com um avião (nada melhor para lembrar o 11/9) no qual Sean Walker está dentro. Confuso ? Aos poucos estes mistérios vão sendo resolvidos e outros apresentados. A trama segue em um bom ritmo e começamos a conhecer mais os personagens.

E o que é o famoso Evento ? Ainda não foi mostrado, mas a série está mostrando que aprendeu com as criticas a Lost (as quais rejeito completamente !!! hehehe) com formulação de mistérios simples e com respostas rápidas.

Nesta sequência de bons episódios, o sexto, focada na vida de um dos "aliens" que conseguem se misturar a população humana, incluindo uma história de amor mal acabada, foi o melhor, em minha opinião.

Gabriel

PS1. Toda vez que ouço Buchanan, só me lembro do clássico Mitch Buchanan de Baywatch !! hehehe

PS2. Segue minha teoria inicial sobre The Event, não considero spoiler, por não estarem confirmadas, mas sigam por sua conta e risco:

Uma outra série que The Event me lembra muito é The 4400, e, neste ritmo, tenho que dizer, que acredito que os supostos aliens são na verdade seres do futuro, e que o evento é algo que irá destruir ou causar um grande desastre na Terra, e eles vieram evitar. Ou o contrário, eles vieram garantir o tal evento. Será ?

Comentem a vontade.

@peregrinc

terça-feira, 2 de novembro de 2010

The Walking Dead - s01e01

Vamos lá, primeiro post sobre o primeiro episódio da primeira temporada de uma série que promete muito.

The Walking Dead chega precedido pela fama dos elogiadíssimos quadrinhos de Robert Kirkman, por uma campanha de marketing brutal (http://migre.me/1WGqG) e, inicialmente, obteve resultado: 5,3 milhões de espectadores na estréia (maior estréia de série do ano nos EUA).

E o episódio ?

Um resumo rápido do contexto com o mínimo de spoilers: após ser baleado em ação, o policial Rick entra em coma e, quando acorda, as pessoas sumiram e o mundo está infestado de zumbis. Após procurar sem sucesso por sua mulher e filho, ele encontra um homem lutando contra os "walkers". Ele conta sobre a infestação e diz para que siga a Atlanta, que é aparentemente um local seguro.

Fiquei feliz em rever Sarah Wayne Callies (a Dra. Sarah Tancredi de Prison Break) e Lennie James (o Robert Hawkings de Jericho). Principalmente o segundo, que teve uma ótima participação.

Pelo primeiro episódio, é evidente a preocupação da produção da série, a maquiagem e os efeitos não devem nada para os filmes de zumbi de maior qualidade técnica (como a refilmagem de Madrugada dos Mortos, por Zack Snyder). A direção também soube manter o foco na tensão e no suspense, onde a qualquer momento um zumbi poderia surgir, além de focar na reação dos personagens naquela situação, como a cena que mostra Rick imaginando que poderia ser um sonho (teria a mesma reação naquele momento). A narrativa tem um ritmo lento, que consegue dar aos espectadores um envolvimento maior com a trama.

Bem, direção e produção impecáveis. Figurino e maquilagem idem. Ótimo episódio inicial. Minha única dúvida é se este ritmo lento dos acontecimentos conseguirá manter os espectadores por muito tempo, ou se haverá uma virada neste ritmo, como o final do episódio já dá a deixa.

Comentem a vontade.

@peregrinc

The Event

Não. Ainda não vamos falar do seriado. O evento é o blog mesmo.

Estávamos no carro outro dia conversando sobre seriados (não contem pra ninguém, mas 80% dos nossos diálogos giram em torno disso), e pensamos assim: "Poxa, a gente bem que podia trabalhar com isso..!". Mas, ganhar dinheiro com a internet hoje, só para os nerds (adoráveis, por sinal!), e empreendedores. Não é nosso caso - ao menos o meu. Então, veio a idéia do blog.

Vamos embarcar nessa, sem compromissos, sem obrigações e por d-i-v-e-r-s-ã-o!!!

Os seriados que estamos assistindo semanalmente em tempo 'quase' real são:
  • 90210 - ele me força e eu finjo que não gosto;
  • 30 Rock - eu forço ele, e ele SEMPRE ri de Tracy;
  • Big Bang Theory - eu sou louca pelo Sheldon, e desconfio que ele é louco pela Penny;
  • Modern Family - Experimentamos por causa do Emmy, e não conseguimos mais largar!!!
  • Fringe - Dispensa comentários, já que somos fãs do bom e velho X FILES!!!
  • Dexter - Ele assiste. E me enche o saco pra que eu veja também;
  • Undercovers - Eu já desisti.
  • Walking Dead - Vamos começar. Tô criando coragem...
  • The Event - Esse promete. Nós adoramos e estamos apostando tudo.


Em breve, vamos começar com o trabalho duro de escrever sobre os episódios... mas vocês já sabem que vai ter uma tendência natural em quem escreve o que, né??

Enjoy,

@marinalordelo